quarta-feira, 20 de outubro de 2010

A ÁRVORE E SEUS FRUTOS

“E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.” Jo 7.37,38.

“Certo homem tinha um jardim onde cultivava arvores de varias espécies. E, ele cuidada com todo carinho. Regava-as todos os dias. Porem, suas arvores não se desenvolviam como o homem queria. Seus frutos não eram tão bons. “Um dia ao fazer uma caminhada, avistou um belo jardim, com arvores enormes, bonitas e com belos frutos e, pois em seu coração saber qual era o segredo do jardineiro para deixar essas arvores tão belas. Depois de alguns dias, finalmente, aquele homem viu o jardineiro trabalhando em seu jardim. E ficou observando para ver se descobria o seu segredo. De repente, o jardineiro pega um pedaço de madeira e começa a bater nas arvores ate que saíssem partes de seu tronco. Indignado, o homem vai ate o jardineiro e diz: “eu também tenho um jardim e cuido das minhas arvores todos os dias com muito amor e elas não são tão bonitas e seus frutos não são tão bons. Já você com arvores tão belas, as maltrata por quê?” O jardineiro calmamente o explica: “é que este lugar é muito seco, por isso, eu rego as minhas arvores poucas vezes ao mês para que elas aprofundem suas raízes e encontrem os lençóis d’águas. Também bato nelas para que cresçam mais fortes. “É por isso, que essas arvores crescem tanto e seus frutos são tão bons”.

Nessa ilustração podemos notar que as arvores que eram regadas todos os dias e não passavam por qualquer açoite, não eram tão forte, belas e seus frutos tão bons quanto aquelas que sofriam açoites e tinha pouca água. Porem, isso, era num lugar seco, sem recursos. Mas a promessa de Deus é: “Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.” Sl 1.3.

Você já observou como são as arvores que nascem à margem de uma cachoeira? Numa paisagem desértica, como os cânions, onde corre um rio, ao primeiro sinal de terra, vemos arbustos, vegetação em geral. No deserto, propriamente dito, no lugar onde tem uma nascente d’água, formasse um Oasis. Na historia da humanidade, vemos que toda civilização eram estabelecida próximo a um rio, ou onde era possível alcançar água. A historia bíblica também nos mostra isso: “E os pastores de Gerar porfiaram com os pastores de Isaque, dizendo: Esta água é nossa. Por isso chamou aquele poço Eseque, porque contenderam com ele. Então cavaram outro poço, e também porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Sitna. E partiu dali, e cavou outro poço, e não porfiaram sobre ele; por isso chamou-o Reobote, e disse: Porque agora nos alargou o SENHOR, e crescemos nesta terra.” Gn 26.20-22

Isaque sempre que chegava a um lugar cavava um poço, nessa passagem de Gn 26, lemos que ele teve que cavar três poços, devido às contendas com os seus vizinhos. E esses poços são:

1º) Eseque: contenda.

A contenda começa onde há interesse pessoal e egoísta. No caso, os pastores de Gerar se interessaram pelo poço cavado pelos pastores de Isaque (v19. “cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale e acharam ali um poço de águas vivas.” Gn 26.19)

“Estas seis coisas o SENHOR odeia, e a sétima a sua alma abomina: Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos.” Pv 6.16-19.

2º) Sitna: Inimigo, inimizade. Sitna é uma palavra hebraica que deu origem ao nome “Satanás”, literalmente; adversário.

Depois de começada a contenda, vem à inimizade. Os pastores de Isaque não se importaram em perder o poço que eles mesmos cavaram, mas os pastores de Gerar voltaram a contender pelo outro poço que foi cavado, e daí começou a inimizade entres ambos (Gn 26.21).

3º) Reobote: Alargamento e prosperidade.

Isaque e seus pastores saíram do lugar onde havia contenda e inimizade, e como resultado do seu bom procedimento, ele foi abençoado por Deus (Gn 26.22).

Não conseguimos encontrar na historia, algum lugar que conseguiu ser prospero sem a presença da água.

No Evangelho segundo escreveu São João 7.37, Jesus se levanta e clama: “quem tem sede vem a mim e beba”, e prossegue fazendo uma promessa para aquele beber dele: “rios de água viva correrão de seu ventre”.

Para uma arvore que é plantada à margem de rio, não é necessário regar, pois em Jr 17.7-8 está escrito: “Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.”

Notemos aqui, a mesma promessa do Sl 1.3 (sempre terá fruto, suas folhas não caíram e prosperará). Mas para isso acontecer, precisamos depositar a nossa confiança em Deus, permanecermos fieis à Sua Palavra. Pois quando não agimos assim, nos tornamos como aquele figueira que fora amaldiçoada por Jesus como descreve Mateus 21.19: “E, avistando uma figueira perto do caminho, dirigiu-se a ela, e não achou nela senão folhas. E disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente.”

Marcos nos diz ainda, que não era tempo de figos. Então, por que Jesus amaldiçoou a figueira? Porque sua aparência era enganosa. Pois, naquela região, quando uma figueira está com folhas, é um sinal de que ela já tem fruto. Mesmo não sendo época de figos, Jesus esperava, devido à aparência da arvore, encontrar alguns figos. Assim somos nós. Em hipótese alguma devemos aparentar algo que não somos e/ou temos, porque corremos o risco de sermos “amaldiçoados” por Deus e ficarmos estéril, ou seja, sem as bênçãos de Deus para nós e para nossos irmãos.

Às vezes, ainda, se faz necessário que o jardineiro nos faça algumas podas: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” Jo 15.1-5.

E a promessa de Deus para nós é esta: se confiarmos no Senhor, sem contendermos com nossos irmãos, receberemos d’Ele REOBOTE (alargamento de nossas tendas e prosperidade), seremos não só plantados junto à ribeiros d’água, mas também, rios de água viva correrão de dentro de nós, e como toda arvore que assim é plantada, sua raiz alcançará os lençóis d’água, será forte, ate para suportar a época de escassez de água, a sequidão, dará muitos frutos e ate suas folhas servirão como remédio, e tudo quanto fizer prosperará. Seremos abundantes à ponto de abençoar aqueles que estiverem próximos.

E disse-me: Viste isto, filho do homem? Então levou-me, e me fez voltar para a margem do rio. E, tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia uma grande abundância de árvores, de um e de outro lado. Então disse-me: Estas águas saem para a região oriental, e descem ao deserto, e entram no mar; e, sendo levadas ao mar, as águas tornar-se-ão saudáveis. E será que toda a criatura vivente que passar por onde quer que entrarem estes rios viverá; e haverá muitíssimo peixe, porque lá chegarão estas águas, e serão saudáveis, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio. Será também que os pescadores estarão em pé junto dele; desde Engedi até En-Eglaim haverá lugar para estender as redes; o seu peixe, segundo a sua espécie, será como o peixe do mar grande, em multidão excessiva. E junto ao rio, à sua margem, de um e de outro lado, nascerá toda a sorte de árvore que dá fruto para se comer; não cairá a sua folha, nem acabará o seu fruto; nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário; e o seu fruto servirá de comida e a sua folha de remédio. Ez 47.6-10,12.

QUE AS BENÇÃOS DE DEUS, NOSSO PAI, ENCHA AS NOSSAS VIDAS.

AMÉM.

Nenhum comentário:

Postar um comentário